quarta-feira, 31 de outubro de 2012

SUGESTÃO DE LEITURA: Orelhas De Mariposa






Para quem tem filho pequeno, para quem trabalha na área da educação e também pra muito marmanjo, que não aprendeu  a respeitar as  diferenças físicas e sociais, é  uma ótima dica.

Este livro é muito legal, consegue trabalhar a auto estima das crianças de forma divertida, suave, poética e planta boas sementes.

Orelhas de Mariposa conta a história de uma menina que tem orelhas de abano, ou será de mariposa? Usa meia furada, ou tem o dedo curioso? Tem sapatos velhos, ou muito viajados?
Os defeitos das pessoas podem ser exagerados, dependendo apenas do ponto de vista.


Do original "Orejas de Mariposa" (Kalandraka), o livro já foi traduzido em 8 idiomas.


 Boa leitura!

Editora Callis
    Autor: Luisa Aguilar
    Ilustrador: André Neves




segunda-feira, 29 de outubro de 2012

MÁRIO QUINTANA

Ficheiro:Casadecultura2.jpg


Poeta, tradutor e jornalista brasileiro, nascido em Alegrete, Rio Grande do Sul em 1906. Em 1940 lançou seu primeiro livro de poesias, A Rua dos Cataventos, iniciando sua carreira de poeta, escritor e autor infantil. Em 1966 foi publicado sua Antologia Poética, com sessenta poemas, que recebeu o prêmio Fernando Chinaglia, por ter sido considerado o melhor livro do ano.
Em 1981 recebeu o prêmio Jabuti de Personalidade Literária do ano.
Falece em Porto Alegre em 1994 próximo dos seus 87 anos.

Querendo saber mais informações sobre Mário Quintana visite:
A Casa de Cultura Mário Quintana, originalmente Hotel Majestic, é um prédio histórico brasileiro e um Centro Cultural da cidade de Porto Alegre. O escritor viveu no hotel entre 1968 e 1982 no apartamento 217.


Seiscentos e sessenta e seis

A vida são deveres, que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas...
Quando se vê, já é sexta-feira
Quando se vê, já é Natal ....
Quando se vê, já terminou o ano .
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida .
Quando se vê, passaram-se 60 anos !
Agora, é tarde demais para ser reprovado ...
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, 
eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho, 
a casca dourada e inútil das horas ...
Eu seguraria todos os meus amigos, que Já não sei como e onde eles estão e diria: vocês são extremamente importantes para mim.
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
Dessa forma eu digo, não deixe de fazer algo que gosta devido a falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Livro: Esconderijo do tempo (1980) 

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

RECETA TÍPICA CHILENA


Fuente: El libro clásico chileno, La Gran Cocina Chilena (edición 8, 2000, p. 136):


Pastel de Choclos

8 choclos [mazorcas de maíz-vea la nota abajo]
1 Kg. carne molida
6 cebollas
2 dientes ajo
1 Kg. ave [pollo]
1 cucharada comino
1/8 Kg. aceitunas
1/8 Kg. pasas
2 huevos
Leche
Sal y pimienta

La cebolla se pica en cuadritos pequeños, luego se fríe y se añade a la carne molida, ajo, sal, pimienta, y comino, dejar cocer a fuego suave 20 minutos.  El pollo se cuece y luego se troza.  El huevo cocerlo y partir en rueda. El choclo lo picamos y lo pasamos por la licuadora, luego hacemos un puré y agregamos un poquito de leche, luego lo freímos en un poquito de aceite, pero sin que se queme.  En una budinera colocamos las presas de pollo en forma separada, agregamos aceitunas, pasas y sobre él ponemos una capa de pino [el relleno de carne] que ya tenemos preparado, agregando el huevo y más encima colocamos el puré de choclo, espolvoreándole un poco de azúcar para que se dore.  Lo ponemos en un horno durante 15 minutos. 

Nota: El maíz que se usa no es el maíz dulce que se come en forma de elote o que viene congelado.  Es maíz de campo que tiene más almidón, cosechado en el estado medio lechoso.  En los supermercados chilenos se vende la masa ya preparada y congelada.

Para hacer al estilo santiagueño, tiene que hacer pasteles individuales en pailas de greda de Pomaire, la cerámica local que se ve en la foto arriba.

El uso del MUY y MUCHO

Se usa la palabra mucho antes o después de los verbos. 

Ejemplos:

El niño estudia mucho.
Mucho me alegro.

Se usa muy antes de:

a) adjetivos: muy alto, muy fácil, muy difícil, muy malo, etc

b) adverbios: muy bien, muy mal, muy tarde, muy cerca, etc

Pero se usa mucho antes de:

a) cuatro adjetivos (mejor, peor, mayor y menor)
mucho mejor, mucho peor, mucho mayor y mucho menor

b) cuatro adverbios (más, menos, antes y después)
mucho más, mucho menos, mucho antes y mucho después

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

FEIRA LITERÁRIA ESCOLAR

Nesta sexta 19/10, tive a oportunidade de apreciar a Feira Literária, realizada pela escola Pública Maria Cecília da Silva Grohmann .

Este é o 5º ano da Feira, que contou mais uma vez com o empenho dos alunos, pais e professores. Integração que quando elaborada com carinho resulta em sucesso. 

A satisfação do resultado podia ser vista nos olhares dos educadores, no sentimento de orgulho dos pais, e na alegria das crianças que fizeram tudo com muito empenho e amor.

A Feira não tinha só literatura, que foi exposta de diversas formas, mas também objetos e brinquedos feitos com materiais reciclados, desenhos dos mais variados, animais marítimos e selvagens, maquetes representando os esportes, o sistema solar, a vida urbana. Tudo feito com capricho!

Leva -se praticamente um ano todo para elaborar, uma exposição como essa, que dura apenas um dia, depois fica o sentimento de missão cumprida e de que somos capazes de realizar!















Parabéns a todos que colaboraram para a realização da Feira!






terça-feira, 16 de outubro de 2012

ORTOGRAFÍA: El uso de la D al final de palabra

Muchas palabras que en portugués terminan en DE en español terminan en D. Ejemplos:

PORTUGUÉS                         ESPAÑOL (plural)
parede                                     pared (paredes)
oportunidade                          oportunidad (oportunidades)
cidade                                     ciudad (ciudades)
amizade                                  amistad (amistades)
saúde                                      salud (saludes)
idade                                       edad (edades)

Se escribe con la D final la segunda persona de plural (vosotros/vosotras) de todos los verbos en IMPERATIVO AFIRMATIVO. Ejemplos:

VERBOS                                    IMPERATIVO AFIRMATIVO - 2ª PERSONA DE PLURAL
cantar                                             Juan y Pedro, ¡ cantad una canción!
salir                                                Niños, ¡ salid de la cocina!
venir                                               Muchachas, venid a mi casa el sábado.

ORTOGRAFÍA: El uso de la C

En español se escriben com CUA, CUE, CUO las palabras que en portugés se escriben com QUA, QüE y QUO. Ejemplos:

PORTUGUÉS                   ESPAÑOL
quatro                                    cuatro
quando                                  cuando
qualidade                        cualidad (o calidad)
quantidade                      cuantidad (o cantidad)
qual                                          cual
freqüente                              frecuente
cinqüenta                             cincuenta
quota                                       cuota
ventríloquo                           ventílocuo
quadros                                cuadros

ATENÇÃO NO PORTUGUÊS!
De acordo com a nova ortografia, podemos dizer adeus ao trema! Este é totalmente suprimido de palavras portuguesas, bem como das aportuguesadas. 

A supressão deste sinal afeta diretamente o Brasil, uma vez que os outros países que tem o português como idioma oficial não o utilizam. 

Lembremo-nos sempre de que o trema não é um acento e sim um sinal gráfico. Este sinal é chamado de diérese, que significa a separação de duas vogais adjacentes em sílabas diferentes. 


Uma observação a se fazer, é que o trema continua apenas em nomes próprios e seus derivados: Müller, mülleriano, Bündchen, Hübner, hübneriano, e assim por diante.

ORTOGRAFÍA: El uso de la B

En español se escriben com la B muchas palavras que en portugués se escriben con V:

1 - Verbos de la primeira conjugación en el pretérito imperfecto de indicativo. Ejemplos:

ESPAÑOL                                                  PORTUGUÉS
trabajar - trabajaba                                      trabalhava
andar - andaba                                              andava
nadar - nadaba                                              nadava

2 - Palabras que en portugués se escriben com VR :(en español sólo se usa BR). Ejemplos:

ESPAÑOL                                                 PORTUGUÉS
libro                                                                   livro
palabra                                                            palavra
librería                                                              livraria
labrador                                                           lavrador

3 - Algunas otras palabras que en portugués se escriben com v: árbol, haber, deber, escribir, gobierno, abuelo, alborad, nube, barrer, barniz, carbón, bellaco, cobarde, prueba, caballo, bulto, rabia, probar, febrero.

RECETA TÍPICA MEXICANA


Quesadillas

INGREDIENTES
  • Harina de maíz especial para tortillas, 2 tazas
  • Agua tibia, 1 taza
  • Tortillas de maíz, 12 unidades
  • Harina
  • Queso para fundir, 12 lonchas


Las tortillas puedes encontrarlas ya hechas en las grandes superficies, pero valorarás mucho más tu trabajo si las haces tú mismo. Lo único que hay que hacer es mezclar la harina con el agua y trabajar la mezcla hasta conseguir una masa que no quede muy seca, pero tampoco pegajosa. 
Después, proceder a dividir la masa en dos, luego cada mitad a su vez en dos y así sucesivamente hasta conseguir 16 porciones que moldearemos en forma circular. Recortar dos círculos de algún material plástico rígido y colocar cada bola de masa entre los círculos para, seguidamente, presionar con la ayuda de un plato hasta conseguir una lámina cuanto más fina mejor. Estos círculos de plástico pueden conseguirse cortando una bolsa de plástico limpia. 

En una sartén calentaremos aceite e iremos echando las tortillas una a una ya sin los plásticos. Daremos la vuelta a la tortilla cuando veamos los bordes hechos y retiraremos la tortilla de la sartén cuando se hinche un poco. Para que se mantengan calientes, las iremos apilando en un plato y las cubriremos con otro plato. 

Para hacer las quesadillas, tomaremos una tortilla y la quitaremos una de las capas del plástico sustituyéndola por una loncha de queso que no toque los bordes. Nos ayudaremos de la otra capa plástica para doblar la quesadilla a modo de empanadilla, presionando los bordes y enharinando el conjunto. Las iremos dejando listas y preparadas en una bandeja enharinada donde se reservarán antes de pasar a la sartén. 

Deben freírse en una sartén con el fuego medio ya que la masa debe hacerse bien por dentro. Estarán prefectas cuando estén doradas por los dos lados. En ese momento, las retiraremos a un plato que tenga un papel de cocina absorbente que evite que queden muy grasientas. 

Sugerencias 

Para que las quesadillas queden más jugosas y aguanten más en la sartén, es importante que la tortilla que envuelve el relleno no sea demasiado fina. Por otro lado, además de servir para las quesadillas, las tortillas son para los mexicanos el equivalente a nuestro pan. Es mejor tomarlas recién hechas pero si te sobran, las puedes cortar en triángulos y freírlas en abundante aceite para degustar los famosos "nachos", muy sabrosos con "guacamole". Por último, señalar que las quesadillas admiten muchos más rellenos, desde el jamón york complementando el queso hasta las flores de calabaza rehogadas con ajo, cebolla y perejil.

domingo, 14 de outubro de 2012

RECETA TÍPICA ESPAÑOLA




Tortilla española  


Es una joya de la cocina española, no hay nada más fácil de hacer y que te puede sacar de apuros ante cualquier imprevisto. El origen de este plato se hunde en la noche de los tiempos.  
El secreto está en los ingredientes, buenas patatas (piel amarilla y carne como marfil), buena cebolla (la cebolla le da  jugosidad), huevos frescos y aceite de oliva. 


Ingredientes para  5 personas
 

                   1 kilo de patatas.
                   9 huevos.
                   1 cebolla mediana.
                   Aceite de oliva. 
                   Sal.

Preparación

Poner al fuego una sartén honda con abundante aceite y cuando está caliente, echar las patatas, peladas y cortadas en láminas pequeñas y la cebolla cortada en juliana.  Salar y tapar la sartén. Mantener el fuego no muy fuerte, para que las patatas con cebolla, se cuezan en el aceite. Cuando estén bien blandas y ligeramente doradas,   pero antes de que se frían del todo, sacar de la sartén y escurrir el aceite.  En un bol batir los huevos, hay quien recomienda batir primero las claras, casi hasta   punto de nieve, añadir luego las yemas y seguir batiendo hasta conseguir una buena mezcla.Echar las patatas y la cebolla sobre los huevos batidos y remover bien para que quede todo bien mezclado. Rectificar de sal. 
Poner al fuego una sartén, que tenga un buen fondo para que no se pegue, echar dos cucharadas de aceite y cuando esté caliente, mover la sartén para que quede bien   aceitada, entonces echar la mezcla de huevos, patatas y cebolla y extenderla bien. 
Bajar el fuego y mover con movimientos circulares para que la tortilla "baile" y no se  pegue. Dejar cocer hasta que se vea que empieza a burbujear. 
Dar la vuelta a la tortilla (aparte de otras connotaciones). 


Si la sartén ha quedado muy seca, echar otras 2 cucharadas de aceite y cuando esté  bien caliente, echaremos de nuevo la tortilla, dejándola resbalar cuidadosamente,  desde el plato a la sartén. Bailarla de nuevo con movimientos circulares y dejarla  cocer entre 1 y 2 minutos, dependiendo del gusto de los comensales, pues a unos les  gusta que quede tostada por fuera y casi cruda por dentro y por el contrario a otros  les gusta bien cocida. Hay quien emplea la prueba de pinchar con un palillo de dientes  y cuando salga seco ya estará.  
 Se puede comer caliente, pero también está buena fría y porque no, hasta en bocadillo. 

http://www.unav.es/digilab/proyectosda/2001/gournet/recetesp.html

terça-feira, 9 de outubro de 2012

CONOZCA A LOS PALÍNDROMOS.


Palíndromos son palabras o frases que se leen de izquierda a derecha o de derecha a izquierda. Podemos decir que el palíndromo, en comparación con la frase común, es como un billete de ida y vuelta.


Palíndromos de Una Palabra
acá (adverbio)
aérea (adjetivo)
ala (sustantivo)
allá (adverbio)
anilina (sustantivo)
ananá (sustantivo)
ata (forma verbal)
debed (forma verbal)
nadan (forma verbal)

ojo (sustantivo)
oso (sustantivo)
radar (sustantivo)
rajar (verbo)
rallar (verbo)
 rayar (verbo)
reconocer (verbo)
rodador (adjetivo)
rotor (sustantivo)
salas (sustantivo - forma plural)
 seres (sustantivo - forma plural)
somos (forma verbal)
sometemos (forma verbal)

Palíndromos de Dos Palabras
luz azul
ojo rojo
yo voy

Conheça alguns exemplos de Palíndromos em Português
arara
asa
ata
ele
mamam
matam
metem
mirim
mussum
oco
osso
ovo
racificar
radar
reger
raiar
ralar
ramar
rapar
rasar
reler
reter
rever
reviver
rir
rodador
sacas
saias
salas
socos
Palíndromos com duas palavras
Aceno boneca
Acne penca
Ada bêbada
Ai, Bia! 
Ada nada
Alô bola
Arara rara
Ato idiota  
Luz azul

domingo, 7 de outubro de 2012

Poema: BRINCADEIRAS

BRINCADEIRAS DE CRIANÇAS
ESPERANÇAS QUE NÃO MORREM
BRINCADEIRAS DE INFÂNCIAS
QUE NO TEMPO TRANSCORRE

                 QUANDO MENINA BRINCAVA, PULAVA, CORRIA
                 ESCONDE-ESCONDE, MÃE DA RUA, BAMBOLÊ
                 BOLA, BONECA, BALANÇO, BILBOQUÊ
                 PASSADOS ANOS E HOJE BRINCO DO QUÊ?



BRINCAR É BOM E NÃO CUSTA NADA
BRINCA, BRINCA, BRINCA MENINA LEVADA
VIRA CAMBALHOTA, DÁ ESTRELINHA
CHUTA BOLA E PULA AMARELINHA


                 QUANDO CRIANÇA TINHA PRESSA DE CRESCER
                 PRA QUÊ?
                 HOJE, SÓ TRABALHO, CONTAS, PREOCUPAÇÕES
                 COMO NO TEMPO NÃO POSSO VOLTAR
                 VIVO APENAS DE RECORDAÇÕES


ANDRÉA BELIATO
IMAGEM RETIRADA DA INTERNET NO BLOG DE ELLEN PAES






sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Tirinha 2

TÁ RUSSO!!!



Bate papo com Elisiê Peixoto




    Pra quem ainda não conhece esta é a jornalista, colunista e escritora Elisiê Peixoto, que carinhosamente cede um pouco do seu tempo para fazer um bate papo com o Blog Mundo das Letras.
Nascida em Londrina, se formou em Comunicação Social, com habilitação em jornalismo pela UEL. Desde pequena já escrevia romances e poesia. Durante 20 anos foi colunista da Folha de Londrina. E agora está em seu décimo livro.


"Sempre gostei de escrever." 

MUNDO DAS LETRAS: Nos conta como é ser e um(a) escritor(a) no Brasil?
ELISIÊ: Difícil. Não muitos são reconhecidos como talentosos. E a nossa cultura diferenciada dos países de Primeiro Mundo, não valoriza a leitura. Mas sinto que aos poucos tudo isso esta mudando. Graças a Deus. Ler é importante, exercita a mente, te leva a lugares e situações inusitadas, te força a pensar...e a sonhar.


MUNDO DAS LETRAS: Acha que atualmente nossas crianças e jovens estão se interessando pela leitura?
ELISIÊ: Não estão. Cabe aos pais e à escola mudar a realidade da leitura. Pais que estimulam a leitura também têm que dar exemplo, lendo. Nem que seja dois livros por ano. Mas deve-se ler.

MUNDO DAS LETRAS: Autora dos livros Estilo, A história dos imigrantes japoneses no Paraná, Profissionais do Ano, além do sucesso Mulheres Resilientes. Esta última seria a sua obra preferida?
ELISIÊ: Gosto muito desta série, que está no quarto livro. Trata diretamente da causa da mulher. Violência Sexual, Violência Doméstica e Câncer de Mama. E agora, sobre Aborto.

MUNDO DAS LETRAS: Último lançamento?
ELISIÊ: Foi da séria Mulheres Resilientes em março de 2012. O livro Cicatrizes tem depoimentos de mulheres violentadas e que superaram, conseguiram dar a volta por cima. Mas ficaram cicatrizes. Fechadas....mas estão lá...e são lembradas.

MUNDO DAS LETRAS: Pra finalizar deixa uma mensagem.
ELISIÊ: A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, mas só pode ser vivida, olhando-se para frente.

O Mundo das Letras agradece sua participação, aliás mais que isso, agradece a sua colaboração com a Literatura Brasileira, por ter acreditado e persistido, apesar das dificuldades da profissão, que acreditamos em um futuro breve não existir mais.

É dispensável desejar sucesso pra quem já nasceu brilhando.



quinta-feira, 4 de outubro de 2012

O Tupi e a Língua Portuguesa

Para podermos entender a influência da Língua indígena Tupi na Língua Portuguesa, falada no Brasil, vamos ter que relembrar um pouco da história do nosso país.
Quando o navegador português, Pedro Álvares de Cabral, aportou em terras brasileiras em 1500, o Brasil tinha nos tupi-guaranis a tribo mais numerosa e poderosa. Os tupis viviam no litoral brasileiro, de norte a sul do que é hoje o Brasil. Já seus primos guaranis dominavam as matas do interior, entre as bacias do Paraná e do Paraguai. 
A palavra "Tupi" significa "o grande pai" ou "líder" e o "Guarani" significa "guerreiro". Os tupis,  dividiam-se em várias tribos. Algumas delas.
Tela de Assis Costa artista portigua
Os Potiguares (Papa-Camarão) viviam no Rio Grande do Norte. Mais ao sul, os Caetés (gente da floresta), vagavam por Alagoas. Os Tupinambás (Tupis Machos) eram da Bahia, e se uniram aos franceses e tamoios na guerra contra os lusitanos. Já em Porto Seguro, sul da Bahia, e descendo para o sul, já se encontravam os Tupiniquins, inimigos mortais dos Tupinambás.
Descendo o mapa do litoral brasileiro, encontravam-se as seguintes tribos tupis, tamoios (Os anciãos) de Cabo Frio até Angra dos Reis, guaianases (Os irmãos) São Vicente, SP, guaranis (guerreiros) de Itanhaém até Cananéia, SP, carijós (Os brancos), que se espalhavam por Cananéia, Santa Catarina até a Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul.
Imagens: Shutterstock
Padre jesuíta espanhol José de Anchieta
José de Anchieta, que viveu 44 anos no Brasil, aprendeu o tupi-guarani com os índios guaianases, de São Paulo. Foi nessa região que os padres jesuítas fundaram em 1554 um colégio, onde indígenas das redondezas passaram a morar e muitas crianças nativas frequentavam as aulas dos padres. Era o nascimento da cidade de São Paulo, situado em "Pindorama", nome que os índios chamavam o país que, mais tarde, por influência dos portugueses, passou a ser denominado "Brasil".
O Tupi-guarani não formava uma língua uniforme. Os padres jesuítas que montaram aldeias ou "missões" arrebanhando os nativos para o ensino da fé católica acabaram influenciando os índios Tupi-guaranis "domesticados" a falarem um tupi padrão e simplificado. O objetivo era eliminar os dialetos. O tupi patronizado ganhou o nome de "Nheengatu", que significa "Língua Boa". Também é conhecido por "Abanheenga", que significa "Língua de Gente".  O Nheengatu é a língua ainda hoje falada na Amazônia.
Até o final do século XVII, a língua "oficial" do Brasil era o Tupi-guarani misturado com português. De cada três brasileiros, dois só falavam Tupi-Guarani. Mas em 1759, sobre influência do Marquês de Pombal, o governo português baixou um decreto proibindo o uso do idioma sob a acusação de que estava prejudicando as comunicações na colônia brasileira e impondo punições para quem não usasse o idioma português. Foi assim que, à força, o tupi-guarani foi tirado de circulação ao longo do tempo. Se não houvesse essa medida, o Brasil seria um país bilíngue, cuja população usaria o português e o tupi-guarani, tal como hoje ocorre no Paraguai em que o povo de lá exprime-se em espanhol e guarani, uma língua parente do tupi.
O tupi-guarani influenciou profundamente o português do Brasil. Não foi apenas na incorporação de vocabulário indígena, mas até mesmo influenciou na sintaxe no idioma lusitano no Brasil. Aliás, vale lembrar que os caboclos do estado de São Paulo, em sua grande maioria, só falava tupi até a primeira metade do século XIX. 
Alguns exemplos da influência do tupi-guarani no português brasileiro. 
Raros são os brasileiros que pronunciam o "r" de final de palavras. Por exemplo, "pagar" é falado como "pagá", "amor" soa a "amô" e assim vai. Pois esse vício de linguagem vem do tupi-guarani. As pessoas menos escolarizadas têm o costume de trocar o "l" pelo "i". Não pronunciam "mulher", mas "muié", "pólvora" soa a "pórvora", "filho" é "fio", etc. 
Os paulistas dizem- está chovendo, me deixe, me faça o favor, etc., enquanto os portugueses locucionam- está a chover, construção tão malsoante aos nossos ouvidos, quanto aos ouvidos lusos devem ser os- me deixe, me faça o favor. 
Há tantas palavras tupi incorporadas ao português que nem percebemos, inclusive até na gíria de jovens. Por exemplo, há jovens que dizem: "O fulano chegou no serviço e BABAU. Perdeu o emprego". O "Babau", que muitos acham ser uma gíria de surfista, é uma expressão secular do tupi-guarani, que significa "acabou-se".
"Tchê" é outro sinônimo tupi-guarani que significa "amigo". Também significa "eu" e "meu". Mas esta palavra tão usada pelos gaúchos incorporou-se tanto no português do Rio Grande do Sul como no espanhol dos argentinos e uruguaios dos pampas fronteiriços ao Brasil por influência também do guarani do Paraguai. Aliás, o famoso guerrilheiro argentino que participou da revolução cubana, Ernesto Guevara, que morreu na Bolívia em 1967, era chamado de "Che" (como é escrito "Tchê" no espanhol). Portanto, Che Guevara significa "Amigo Guevara", que a história imortalizou como símbolo da rebeldia e da luta revolucionária esquerdista.
Outras palavras que conhecemos, mas muitas vezes não sabemos o significado e que provinham do Tupi
Andaraí: água do morcego                                                             Anhangabaú: buraco do diabo
 Aracaju: tempo de caju                                                              Carioca: casa de branco 
Curitiba: muito pinhão, pinheiral                     Goiás: gente da mesma raça
Ipanema: água suja                                          Jacarepaguá: lago do jacaré
Mogi-Mirim: riacho das cobras                       Pará: mar 
Paraguai: rio do papagaio                               Paraíba: rio ruivo ou encachoeirado 
Paraná: rio afluente                                           Pirapora: peixe que salta 
Pindorama: país das palmeiras                      Sergipe: rio dos siris 
Tijuca: água podre

Fica a dica: vamos nos atentar mais, porque tudo isso não só faz parte da nossa língua, mas da nossa história, da nossa cultura, faz parte de nós brasileiros.

Editado por Andréa Beliato

Professora de Português Céu Pimentel







A professora de Português Maria do Céu Pimentel, nascida no Rio de Janeiro, estudou na Universidade de Santa Úrsula e se formou em Letras  (Português/Literatura), em 1997. Elaborou uma página no Facebook chamada "Língua Portuguesa", que além de muito criativa, consegue ensinar de forma fácil. 

"Resolvi criar esta página em agosto do ano passado e, para minha surpresa,ela foi muito bem aceita e vem crescendo bastante. Diariamente me dedico a ela e publico um vasto material sobre o assunto. Tento mostrar um pouco do conhecimento que tenho e aprendo muito com todos vocês. Essa troca é enriquecedora demais para o meu crescimento profissional. E é por isso que cuido desse espaço com muita dedicação e carinho."

Foto
Foto







Foto




Foto
























terça-feira, 2 de outubro de 2012

Salgado Maranhão

José Salgado Santos Letrista. Poeta. Nasceu em Caxias, no Maranhão, em 1954. Ainda adolescente, mudou-se com os irmãos e a mãe para Teresina.Escreveu artigos para um jornal local e conheceu Torquato Neto, que o incentivou a ir para o Rio de Janeiro, o que fez no ano de 1972. Estudou Comunicação na Pontifícia Universidade Católica (PUC).

Em 1998, ganhou o prêmio "Ribeiro Couto", da União Brasileira dos Escritores (UBE), com o livro "O beijo da fera". No ano seguinte, com o livro "Mural de ventos", foi o vencedor do "Prêmio Jabuti", da Câmara Brasileira do Livro, dividido com Haroldo de Campos e Geraldo Mello Mourão. Colaborou em várias publicações com artigos e poemas, como a revista "Música do Planeta Terra".

Com uma poesia marcada pelas dores da terra e pelas cores de todas as paixões, o escritor Salgado Maranhão surge poeticamente na década de 1970. Seu trabalho então negava as vanguardas de seu tempo e apresentava-se como uma proposta que resgatava o lirismo e buscava a formação de uma obra consciente de sua função estética e social.

Título: Leituras
Autor: TV Senado
Categoria: Literatura
Idioma: Português
País: Brasil

Trabalenguas

Conocemos muchos trabalenguas en Portugués, siendo así vamos aprender en Español.


Trabalenguas son expresiones constituidas por secuencias de palabras de dificil pronunciación.

 Ejemplos:


El perrito de Rita me irrita
Si el perrito de Rita me irrita
dile a Rita que cambie el perrito
por una perrita


Perejil comí, perejil cené

De tanto comer perejil
me emperejilé


María Chucena tenía una choza
El viento se la destechó
¿Quién quiere ayudar
a María Chucena a techar su choza?


En esta calle vive
vive y vivía
la novia de mi novio
contraria mía.



Cuando cuentas cuentos
cuenta cuantos cuentos cuentas
porque si no cuentas cuantos cuentos cuentas
nunca sabrás cuantos cuentos contaste.



Tengo un piso enladrillado.
¿Quién lo desenladrillará?
El desenladrillador
que lo desenladrille
buen desenladrillador será


Sugestão de leitura

Ler enriquece, abre as portas da imaginação e quando o livro diverti informando é melhor ainda.

A casa da mãe Joana: curiosidades nas origens das palavras, frases e marcas, é um livro de Reinaldo Pimenta, lançado em 2002 após um longo e minucioso estudo com base em artigos e obras de autores especializados no assunto.

Abaixo retirei do livro dois trechos, uma amostra da irreverência e seriedade desta obra:

"O nome espanhol Francisco, que também era grafado "Phrancisco', ficou com as abreviaturas "Phco" e "Pco". Daí foi fácil Francisco ganhar em espanhol o apelido Paco."

"Armário
Do Latim Armarium, lugar onde se guardam armas. Ganhou sentido de guarda-louças, cofre, biblioteca, caixão.
Atualmente em português, é um móvel para guardar objetos e seres variados. Como foi o famoso caso do neto que perguntou à avó o que era amante: a velhinha deu um tapa na testa e um grito - Amante! - , correu para o quarto, abriu a porta do armário e de lá caiu um esqueleto."

Boa leitura!

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Tirinha

Em época de eleição é assim....

A gente vê de tudo na televisão, ex jogadores, artistas e os que se acham artistas, ex modelos, cantores,  e os filhos e netos de políticos.

Vejamos as opções: Temos os bons políticos, apenas não está disponível em todas as cidades, temos os que são conhecidos até demais, mas nem por isso são confiáveis, temos os procurados pela polícia e oras temos os palhaços. 

Você escolhe!



Época de eleições by Andréa Beliato